Governo do Paraguai trabalha em esforços para melhorar a cidade e impedir a redução da cota de compras.

As associações empresariais de Ciudad Del Este estão inconformadas com a atual situação do comércio na cidade, e recorreram ao Governo do estado para este auxiliar nas medidas que devem ser tomadas para impedir que a cota de compras seja reduzida e acabe gerando um abalo econômico no microcentro. O Governo do Paraguai irá trabalhar nos problemas que a cidade possui, solucionando-os um a um, para depois procurar entrar em um consenso com as autoridades brasileiras e debater a respeito da lei imposta que irá reduzir a cota de compras isenta de impostos de US$ 300 para US$ 150, prevista para entrar em vigor em julho deste ano. 

Mohamah Manah, presidente da Câmara de Comércio e Serviços disse que se encontra bastante confiante com a promessa do presidente Horácio Cartes, já que este foi informado de que se a redução da cota acontecer, CDE deixará de ser atrativa. "Um brasileiro que vem de São Paulo gasta muito durante o seu trajeto para chegar a cidade, e não virá até aqui se tiver direito a somente 150 dólares em compras", explicou. Neste sentido, Manah insiste na necessidade de aumentar o investimento público nesta região, para que esta se torne um exemplo da República do Paraguai. 

Chariff Hammoud, presidente do Centro de Importadores e Comerciantes do Alto Paraná (CICAP), afirmou que a iniciativa do Governo ajudará a levantar a cidade. "O presidente nos escutou, e sabemos que os problemas na cidade e em seu sistema são essenciais e devem ser resolvidos, e acreditamos que isso terá uma solução, mas também depende de todo o apoio que governo possa oferecer", afirmou.

 As autoridades governamentais do Paraguai afirmaram que farão o possível para convencer os representantes brasileiros a não reduzir a cota, pois se tal medida for tomada, os dois lados perdem. O comércio perderá clientela, muitas lojas acabarão sendo fechadas e o povo brasileiro terá de se contentar com os preços dos produtos no Brasil, que acumulam altas taxas tributárias. Sem mencionar que a prática do contrabando acabará se tornando muito mais comum, e serão muitos os casos de violação da fiscalização e das normativas impostas. Agora é aguardar, e torcer para que nenhuma redução na cota de compras aconteça.

Deixe seu Comentário

Não foram encontrados comentários.

Novo comentário

Promoções

Comprar no Paraguai. Compras no Paraguai. Lojas no Paraguai
Produced By Comprar no Paraguai | © Copyright